Como será a igreja neste milênio? | Ensinando de Sião

Artigos e estudos

Como será a igreja neste milênio?

Estamos na undécima hora? O Messias está voltando? Passará deste milênio?

Há muita coisa correndo na mídia a respeito de como será a vida no novo milênio. A humanidade, sem dúvida, anseia por uma grande mudança. Parece que tudo precisa mudar. O homem busca sempre mais: quer na ciência, na tecnologia e desenvolvimento, na indústria, na economia, nas formas de comércio, nos sistemas de governo, nos aspectos sociais, na computação que tem trazido um estilo de vida cada vez mais virtual. Até mesmo na espiritualidade, o homem não tem ficado para trás, e muitos tem buscado e almejado uma vida mais espiritual. Mas, como fica a Igreja de Jesus neste novo milênio? Estará unida e mais forte? Estará realmente preparada para a eminente vinda do Senhor? Como está sua saúde espiritual e o que nela precisa mudar urgentemente? Ela também estará passando por radicais e grandes transformações? Eu, pessoalmente, creio que sim. Não creio que a Igreja precisa mais de reformas, mas indubitavelmente, de passar por um eficaz processo de restauração.

Se é tempo de mudança, então, é tempo também de restauração. Por que restauração e não reforma? Porque as reformas não foram e nem serão capazes de trazer a Igreja de volta à sua autenticidade e originalidade. A palavra reforma é compreendida como sendo “aquilo que dá forma, reconstrói, reedifica”; porém, nem sempre leva em consideração a originalidade, ou seja, o estado natural no qual algo foi criado. Por outro lado, a palavra restaurar exige que o objeto ou algo a ser restaurado seja idêntico ao original, não podendo ser adicionado nada que não seja autêntico em relação ao estado de sua criação. Pode-se, por exemplo, reformar uma cadeira de jacarandá empregando-se aglomerado de madeira. Esta cadeira foi reformada e não restaurada, mesmo que coloquemos na superfície da cadeira uma pequena película de jacarandá, não podemos dizer que ela foi restaurada. Do ponto de vista de quem olha, tudo parece ser jacarandá maciço; mas na verdade, não é autêntico. Então, se vamos restaurar algo, devemos tomar o cuidado que tudo seja autêntico, exatamente igual ao modelo original.

A conclusão é que a Igreja de Yeshua precisa ser restaurada, pois se olhamos para seu estado atual vamos constatar que muita coisa está fora do padrão original quando ela foi estabelecida a quase dois mil anos atrás. Por isso, temos que resgatar as verdadeiras raízes do cristianismo, reavendo tudo aquilo que, com o passar do tempo, deteriorou-se, descaracterizou-se, desviou-se do estado original em que foi criada. A grande verdade é que o cristianismo desviou-se e tem-se desviado do seu estado original e, principalmente, dos princípios vividos e promulgados pelos apóstolos no primeiro século de nossa era.

O texto de Efésios, capítulo 5, versos 25-27, mostram o padrão da Igreja, o Corpo do Messias, Yeshua. “… O Messias amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, a fim de a santificar, tendo-a purificado com lavagem de água, pela palavra, para apresentá-la a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem qualquer coisa semelhante, mas santa e irrepreensível”.

É óbvio que a santidade e purificação da igreja vem com lavagem de água pela palavra. Não só numa única lavada, mas um processo contínuo de fazê-la voltar exclusivamente para a palavra. Isto é no meu o ver o início do processo de restauração, o qual trará um genuíno avivamento à Igreja.

Muitos hoje correm atrás de um avivamento, como algo maravilhoso do mover do Espírito do Senhor, um presente d’Ele para nós, trazendo “rios” de bênçãos. Eu também creio nisso. Mas, creio muito mais em algo duradouro, como aquele avivamento que virá pelo processo contínuo de santificação e purificação pela palavra do Senhor.

Gostaria de lançar como motivos de oração alguns pontos deste almejado processo de restauração, onde a igreja abrirá mão de certas atitudes e crenças, substituindo-as por outras fundamentadas na Palavra.

Assim, cremos que a igreja no novo milênio:…

  1. Estará centralizada na pessoa do Messias Yeshua e não mais em ministérios de homens;
  2. Dará ênfase ao Ser ao invés de Ter, tomando posse da verdadeira prosperidade; Ser e refletir o verdadeiro perfil da noiva do Messias Yeshua (Jesus);
  3. Deixará os costumes e tradições pagãs para voltar e restaurar suas raízes bíblicas e judaicas;
  4. Estará reconectada a Israel, à salvação do povo judeu, abolindo o anti-semitismo, sendo parte integrante dos cumprimentos proféticos;
  5. Dará ênfase aos estudos bíblicos, descobrindo a maravilha dos princípios de Deus contidos na Torah e nos outros livros do Antigo Testamento, que refletem o caráter e a pessoa de Yeshua; trazendo qualidade da fé e melhoria do estilo de vida;
  6. Trocará os investimentos em coisas materiais para investir em pequenas e fortes comunidades locais;
  7. Deixará de ser uma organização empresarial para ser um organismo vivo;
  8. Trocará o sistema religioso dos homens para viver integralmente dentro dos princípios promulgados e vividos pelos apóstolos, a filosofia dos discípulos de Yeshua;
  9. Vencerá as barreiras e as divisões denominacionais a favor da unidade, mobilizando todos contra o inimigo que nos é comum, principados e potestades;
  10. Passará de uma doutrina inicial de discipulados, dando ênfase à doutrina profunda que gera a maturidade da fé, caráter e, sobretudo, o fruto do Espírito;
  11. Dará ênfase as coisas espirituais do Reino, investindo pesadamente nele, preparando a vinda do Senhor. A ênfase é está preparada a vinda;

Verdadeiros homens chamados por D-us assumirão a liderança da Igreja, exercendo e enfatizando os ministério fundamentais, onde todos servirão a todos, eliminando a função de um pastor senior chefe-geral.

Autor:

Líder e fundador do Ministério Ensinando de Sião-Brasil e da Congregação Judaico-Messiânica Har Tzion - Belo Horizonte - MG. www.ensinandodesiao.org.br – www.tvsiao.com – www.ccjm.org.br

Conheça a nossa loja