Direitos e justiça | Ensinando de Sião

Artigos e estudos

Direitos e justiça

Por Dr.Daniel Juster (*)

Neste verão, a Suprema Corte dos Estados Unidos estabeleceu o direito do casamento homossexual. Surpreendemente a corte descobriu um direito que possivelmente pode não estar no propósito da Constituição americana. Justices Robert e Scalia falam de maneira brilhante sobre isto, e acerca das implicações de uma corte judicial imperial comporem leis.

Há vários problemas bem sérios sobre este julgamento:

 

  • É Contrário ao Consenso Histórico de Moralidade Sexual

 

Creio que a sociedade é melhor quando afirma e encoraja os valores Bíblicos fundamentais que tem sido a pedra fundamental do Mundo Ocidental e da tradição moral judaica-cristã por 4000 anos. A moralidade sexual foi um dos pontos mais fortes de consenso entre o Judaísmo tradicional e todos os Cristãos–Católicos, Ortodoxos e Protestantes.

 

  • Compromete a Liberdade  e Consciência Religiosa

 

Temos agora uma série de leis que se baseiam nas exigências  do povo que são a base para que os casamentos homossexuais sejam agora definidos como um direito civil. Isto não será apenas para quem lida com acomodações públicas e hotéis, mas para aqueles que têm empregos familiares, e que serão obrigados a participar e encorajar aquilo que consideram pecado ( por ex. fotógrafos de casamento, ou confeiteiros que são solicitados a fazer bolo de casamento para dois noivos). Isto já está acontecendo em vários estados dos EUA e irá acontecer cada vez mais. Há uma grande diferença entre servir alguém num restaurante e pessoalmente participar e contribuir num casamento ou outro evento imoral. O assalto legal que sofrerão as faculdades cristãs, as escolas de ensino médio etc., e seu status de isenção de taxas em relação às políticas de admissão e moradia estudantil certamente serão contestadas.

 

  • Mostra Mal-entendimento dos Aspectos Fundamentais do Amor de D’us e da Lei de Deus

 

Muitos cristãos têm se alegrado e concordado com o casamento homossexual, não apenas como um assunto civil, mas como algo que pode refletir o amor de D’us pela humanidade. Isto mostra uma profunda falta de entendimento Bíblico. Há duas questões fundamentais. Uma é que a Bíblia é a palavra de D’us, escrita e é verdade em cada passagem que ela ensina. A segunda diz respeito ao significado de amor.

A primeira questão é que alguns Evangélicos simplesmente não crêem que a Bíblia nos dê uma visão clara na criação de seres humanos macho e fêmea. Há um propósito na criação de Deus que reserva as relações sexuais para aqueles que contraíram matrimonio, e casamento entre um homem e uma mulher. Há consistência em vários textos e está claro nas Escrituras da Nova Aliança que afirmam o mesmo ponto de vista dos ensinos da bíblia Hebraica. O livro de Levítico é claro no que diz respeito às relações sexuais proibidas( Lv 18,19) e tem sido Igreja. Ainda, em Romanos 1, e 2 Coríntios 5, 7 e outras passagens o mesmo ensino é encontrado. A declaração do casamento homossexual é rebelião contra a ordem declarada de Deus e do propósito em Sua criação. Alguns Evangelicos têm simpatia emocional, mas são insensíveis ao temor do Senhor. Graças a D’us por Billy Graham e seu filho Franklin que pregam com toda franqueza sobre este assunto.

A segunda grande questão é a pouca compreensão do amor. O tipo de “amor” que tem sido afirmado pelos Evangélicos pro-homossexuais é um amor humanístico. É simpatia emocional  que busca a satisfação das pessoas no que eles querem, porque “Como podemos negar a um homossexual o cumprimento da intimidade sexual?!”.

Amor na Bíblia é definido no contexto da Lei. Eu o defino como “identificação apaixonada com outras pessoas, que buscam seu bem, guiada pela lei”. O bem de outras pessoas é o cumprimento de seu propósito. O bom propósito de Deus para as pessoas não é intimidade sexual física. A questão acerca de como nossos órgãos sexuais foram planejados e para quem está bem clara. O bom propósito de D’us para a maioria das pessoas é o casamento heterossexual, e para alguns é o celibato para ajudá-los a focar no serviço ao Senhor. A realização sexual não é o significado central da vida. Sem dúvida, não há nada de errado com um relacionamento duradouro de aliança entre homens e entre mulheres, desde que não envolva homossexualidade ou envolvimento sexual. Porque nós realmente amamos as pessoas, nós queremos ajudá-las a cumprir seu propósito em D’us. Isto não diz respeito à homofobia(uma distorção lingüística terrível para intimidar as pessoas e acabar com a discussão), mas é uma questão de amor pelos homossexuais. Não tememos os homossexuais mas temos um amor temeroso por eles. Nosso destino está seguro em D’us. Nós os amamos e desejamos o melhor para eles. Muitos Cristãos não têm nenhuma teologia da lei e pensam que o Novo testamento foi feito sem a lei. Mas a Bíblia diz que a fé estabelece a lei (Rm 3:31) e que “o preceito da lei está cumprido para aqueles que andam no Espírito” (Rm8:4). D’us não mudou os Seus padrões. Temos chamado as pessoas a se voltarem para o caminho da vida e da verdadeira realização.

A Bíblia proíbe intimidade sexual fora do casamento. Isto inclui o sexo pré-marital. Certamente que o casamento se tornou um grande hit. Muitos hoje se casam sem qualquer intenção de fidelidade. Alguns até mesmo se casam achando que lhes será permitido experiências sexuais fora do casamento.

Então, por que as pessoas são homossexuais, bissexuais, transexuais e outros? Há várias razões. A primeira é um mundo caído e nós herdamos uma tendência a certos tipos de pecados (conforme observou C.S.Lewis). Apesar de não ser comprovado pela genética, há uma ala de geneticistas  favoráveis à idéia de uma  herança “caída” num mundo caído.

Em segundo lugar, o ambiente pode , de várias formas imprevisíveis, nos predispor a orientações sexuais erradas desde tenra idade. Em terceiro lugar, há um nível demoníaco. A maioria dos cristãos que estão apoiando a homossexualidade nunca lidou com um espírito homossexual ou expulsou-o. Na maior parte do mundo Cristão fora da Europa e da América do Norte, os crentes conhecem a realidade do sobrenatural estão familiarizados com ele. Muitos no Ocidente não têm tal entendimento.

Como isto é trágico! Este é mais um prego no caixão da sociedade levando ao declínio dos casamentos duradouros e famílias à medida que o ocidente despenca em direção à decadência.  Que tipo de julgamento pode esperar de Deus quando a rebelião está num nível tão fundamental? Este julgamento começará na casa de Deus.

E assim, eu me preocupo com a condição do governo e sociedade civil. Todavia, como um líder Judeu Messiânico, minha maior preocupação é a resposta dada por alguns que se dizem Evangélicos. Por quê? Porque uma igreja comprometida não é uma não é uma igreja gloriosa, e uma igreja gloriosa é a chave para a restauração da fé de Israel e a restauração de todas as coisas.

(*)Dr. Dan Juster  – Fundador e Presidente do Ministério Tikkun Internacional – artigo publicado na revista  Israel’s Restauration – Tradução Rosangela Guimarães- Agosto 2015

Autor:

Líder e fundador do Ministério Ensinando de Sião-Brasil e da Congregação Judaico-Messiânica Har Tzion - Belo Horizonte - MG. www.ensinandodesiao.org.br – www.tvsiao.com – www.ccjm.org.br

Conheça a nossa loja