Quatro Perguntas | Ensinando de Sião

Artigos e estudos

Quatro Perguntas

Por Eitan Shishkoff

Apesar de a Páscoa ter passado vários meses atrás, podemos sempre fazer perguntas. A clássica fórmula do Seder de Páscoa atende bem os nossos propósitos. Quando as “quatro perguntas” são cantadas pelo filho caçula à mesa (a tradição sefaradita é que todos reunidos façam as perguntas em coro), abre-se a porta para a espantosa história de nosso êxodo da escravidão. Todos os celebrantes são exortados a ver estes eventos “como se nós mesmos estivéssemos presentes na noite que fugimos do Egito”. Do mesmo modo, faremos agora quatro perguntas e espero que elas  o levem à sua entrada pessoal para a história da redenção que Deus está tecendo.

 

  1. I.        O QUE É UM JUDEU MESSIÂNICO?

Descobri minha herança judaica ao ler o relato da Última Ceia do Novo Testamento. De fato, foi o Seder de Páscoa, a refeição anual que Israel foi ordenado por Deus a observar por todas as suas gerações. Pela primeira vez eu vi o “antigo” e o “novo” Testamentos como um livro entrelaçado. Compreendi que vivendo como um judeu, eu estaria seguindo os passos de Jesus e dos apóstolos. Eles foram completamente integrados a Israel. Yeshua, que eu tinha conhecido apenas como Jesus, sem muita ligação a Seu destino como Rei de Israel, trouxe-me de volta a uma parte da história de minha família da qual eu tinha sido cortado pela assimilação.

 

Porque isto tem importância? Não somos todos um no Messias? Sim, somos todos alegremente um no Messias. Ao mesmo tempo, a aliança eterna de Deus com Israel não é para ser posta de lado com o advento do seu Redentor. Em Jeremias 31:3, o Senhor diz: “Sim, eu te amei com um amor eterno”. Esperamos que Ele chame sua própria nação para um relacionamento Consigo como prova desse amor. Quando Yeshua diz que Ele veio para as ovelhas perdidas da casa de Israel, não há limite de tempo. Ele não indica ponto final a essa atribuição. Pelo contrário, Ele diz: “Vocês não me verão novamente até que vocês [os judeus em Israel] digam ‘Baruch Habá b’Shem Adonai’ (Bendito o que vem em nome do Senhor)” (Mateus 23:39).

 

Ele declara: “Não penseis que vim destruir a Torah [uma tradução muito melhor do contexto hebraico original do que o termo “lei”] ou os Profetas. Eu não vim destruir, mas cumprir” (Mt 5:17).

 

Um judeu messiânico é um discípulo moderno de Yeshua que é nascido judeu (por parte de qualquer um dos pais de acordo com a maioria dos líderes judeus messiânicos, embora alguns sustentem a decisão rabínica de descendência materna, ou seja, se só o pai da pessoa for judeu, ela não é considerada judia. Isto, naturalmente excluiria os filhos de José, os filhos de Moisés, e os filhos de Rute). O judeu messiânico recebe Yeshua como Messias, Redentor, Salvador e Rei, o Filho de Deus, o Leão da Tribo de Judá e herdeiro do trono eterno de Seu antepassado rei Davi. Ele também vê o modo de vida dado na Torá como a expressão da aliança contínua de Deus com os filhos de Abraão, Isaque e Jacó.

 

  1. II.      QUAL É A IMPORTÂNCIA DE ISRAEL REUNIDO?

Quando eu e minha esposa chegamos a Israel como imigrantes, quase 20 anos atrás, não tínhamos a menor idéia da aventura que estava por vir. Considerando nossas próprias falhas e fraquezas, não há dúvida de que a mão de Deus é responsável por todo o sucesso que tivemos no ministério desde que chegamos a Israel.

 

Nossa própria aliá representa uma pequena parte do retorno físico de nosso povo à terra de Israel após longos séculos de exílio. Este re-encontro prova que Deus não quebrou Sua Aliança com Israel e que a Igreja jamais pode substituir o antigo povo da aliança de Deus. “Porque os filhos de Israel ficarão por muitos dias sem rei ou príncipe [nosso próprio governo], sem éfode ou terafins [vestimenta do sacerdócio]. Depois os filhos de Israel voltarão e buscarão o Senhor seu Deus, e Davi, seu rei. Temerão o Senhor e Sua bondade nos últimos dias” (Oséias 3:4-5). A fidelidade do Deus de Israel é manifestada por toda a história. Que Ele reuniu os Israelitas que foram espalhados durante as conquistas dos assírios (720 aC), dos babilônios (586 aC) e dos romanos (70 dC) está provado. Em Deuteronômio 30:1-6 aprendemos que Israel vai voltar para Deus, ainda no exílio e, então, Ele nos trará de volta à terra de Israel. Nós pessoalmente experimentamos esta volta para o Senhor – então Ele nos levou de volta à terra de Israel.

 

A mesma promessa é encontrada na ordem inversa em Ezequiel 36:24-27. Nesta passagem, Deus descreve um voltar-nos para o Senhor com corações quebrantados depois de termos retornado à nossa terra. Esta promessa tem sido amplamente cumprida nos milhares de novos imigrantes, que encontraram Yeshua depois de chegar a Israel nos últimos 20 anos. Ambas as promessas são verdadeiras. As duas destacam um Israel reunido que precede o retorno de Yeshua como Rei. Ele afirmou aos discípulos que iria restaurar o reino de Israel, (Atos 1:6-7). Ele é Filho, Salvador e Senhor, mas Ele voltará como Rei de Israel (Ez 37:24,25; 2 Sam 7).

 

  1. QUAL É O PAPEL DOS GENTIOS?

Eu vejo Ez 37:9,10 como um chamado a todo o corpo: “Profetiza ao espírito … e dize-lhe … Assim diz o Senhor Deus: ‘Vem dos quatro ventos, ó espírito e assopra sobre estes mortos para que vivam’”. Profetizar aos ossos é o papel de um precursor. Os intercessores proféticos (judeus e gentios) dentro do corpo do Messias são para levar a cabo o ministério de Ezequiel a este respeito. Outros profetas antigos previram o papel dos gentios, no final dos tempos. Isaías previu todas as nações fluindo para o monte da casa do Senhor nos últimos dias (Isaías 2:2-3). Em Zacarias 2:10-11 o Senhor declarou: “Eis que venho e habitarei no meio de ti … muitas nações se ajuntarão ao Senhor naquele dia, e serão o meu povo”. O vínculo entre o Rei Salomão e o Rei Hirão é um maravilhoso exemplo de amizade entre judeus e gentios amantes de Davi (o principal tipo de Messias). A amizade deles levou à construção do Temploem Jerusalém. Que esplêndido prenúncio dos gentios de hoje amantes de Yeshua que são atraídos pelo Espírito para participar da restauração de Israel! Finalmente, há a extraordinária e prática lista no capítulo 60 de Isaías. Ele começa com o anúncio de que os gentios serão atraídos para a luz que irá brilhar sobre Israel no final dos tempos. Isaías estava indagando sobre o nosso tempo, quando viu: Oração Intercessória (60:10), Ajuntamento (60:5,9), Reversão de anti-semitismo (60:14), auxílio no retorno físico (60:8,9) e Treinar/Equipar (60:16).

 

  1. IV.   QUAL É A MINHA PARTE, SENHOR?

A quarta pergunta é que cada um de nós deve pedir ao Senhor, confiando Nele, para dirigir e usar as nossas vidas no resgate de Israel. Em certo sentido, sem esta quarta pergunta, o resto é teórico. Sua vida, o conteúdo de seus dias, faz uma diferença significativa. Portanto, a verdadeira questão é “Qual é o meu papel? Onde Tu me queres Senhor?”

Autor:

é líder da Congregação Ohalei Rahamim de Haifa-Israel.

Conheça a nossa loja