Artigos e estudos | Ensinando de Sião - Part 4

Artigos e estudos

11.11.2014 . Por Marcelo M. Guimarães

Mensagem de Joseph Shulam

“Os Rabinos ensinam que devemos sair e encontrar um professor. Cada um de nós precisa de alguém sábio que seja nosso mentor e nos treine. Todo bom professor tem um professor e se ele não tem deve imediatamente procurar por um. Somos todos subjetivos e precisamos de alguém que nos ajude a ser mais objetivos. Precisamos nos tornar estudantes da verdade e estarmos, em primeiro lugar, sempre famintos pela Palavra de Deus. Precisamos de um professor para orientar-nos e ajudar-nos a permanecer em uma caminhada racional e consistente ao longo da vida para a vida eterna. É claro que Yeshua é nosso Rabino, Professor, além de ser nosso Salvador e SENHOR. Desde o início eu trouxe palavras da primeira carta de João e terminarei este ensino com as palavras de 1 João 2:2, ‘E, Ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro.’ É tão maravilhoso termos a certeza de que Yeshua é a nossa propiciação, e propiciação significa perdão dos pecados. Ao mesmo tempo, é maravilhoso vermos tantos na nação de Israel gastando tempo pensando e orando e considerando seus próprios pecados e sua necessidade de ter expiação pelos seus pecados, mesmo ainda não sabendo o que Deus fez por eles através de Yeshua. Orem pela salvação de Israel e ajude-nos a ser uma bênção para o povo e a terra de Israel. Pensem no dia em que eles conhecerão o Messias e entenderão a grande obra que Yeshua fez por Israel e pelo mundo inteiro. Como “dever de casa” leiam os primeiros versículos do capítulo 3 de 2 Timóteo e encontrem a palavra “ingratos”. Vejam com quem o Apóstolo Paulo associa os ingratos e aprenda a ser mais grato especialmente para com aqueles que têm cuidado de você e lhe ensinado a Palavra de Deus, a fim de que você tenha vida agora e eternamente. É claro, mesmo nossos professores não sendo perfeitos, eles são nossos professores, e devemos mostrar-lhes nossa gratidão pelo que eles compartilharam conosco”. (JOSEPH SHULAM – JERUSALÉM – ISRAEL).

24.10.2014 . Por Matheus Zandona Guimarães

Salvo para obedecer

Atualmente, vemos cristãos de vários segmentos com uma enorme dificuldade de compreenderem como a graça perdoadora do Eterno pode caminhar junto com a obediência às Suas Leis. Muitos se perdem em descontextualizações dos vários discursos de Yeshua e seu discípulo Shaul (Paulo), apregoando um evangelho sem esforço, sem busca por santidade, sem bons frutos, sem boas obras, sem nada! Percebemos então um dos maiores problemas com o cristianismo de nossos dias: as pessoas não tem problema em aceitar Jesus (Yeshua) como Deus, mas não conseguem aceitá-lo como REI. Isso ocorre pois REIS demandam fidelidade e obediência, assim como Yeshua exige de nós.

4.10.2014 . Por Marcelo M. Guimarães

A Festa dos Tabernáculos (Sucôt ou Cabanas)

Dentre as três grandes festas comandadas por Deus, a Festa dos Tabernáculos é a de maior significado profético para nós cristãos. É comemorado no décimo-quinto dia do mês de Tishri, duas semanas após Rosh Hashanah e, usualmente, cai final de Setembro ou princípio de Outubro.

26.08.2014 . Por Matheus Zandona Guimarães

Yamim Noraim (Dias de Temor)

Estamos no mês Judaico de ELUL. Por estarmos a 40 dias do Yom Kipur (dia da expiação) e a 30 dias do Rosh Há shaná, o mês de ELUL torna-se um período de introspecção, arrependimento, análise e avaliação de nossas vidas perante o Eterno e principalmente perante o nosso próximo. As “slichot” (orações especiais de confissão e arrependimento) e o toque matinal do shofar são presentes durante o mês de Elul, em preparação para Rosh Há Shaná (o dia em que nos apresentamos diante do tribunal celeste).

20.08.2014 . Por Marcelo M. Guimarães

Israel e seus inimigos em três tempos

Havia acabado de chegar em Israel em julho passado (2014), quando iniciou-se uma “chuva” de foguetes do Hamás, de Gaza, sobre Israel. Foram dias inusitados para mim e minha esposa, filho e netos. Uma experiência vivida em pleno clima de guerra, sirenes tocando, povo se escondendo apressadamente nos “shelters” (abrigos anti-bombas), noticiário local e internacional cobrindo fatos, entrevistas, cenas sangrentas de civis palestinos, soldados israelenses, destroços e mais destroços.

9.07.2014 . Por Matheus Zandona Guimarães

Últimas notícias direto de ISRAEL

Gostaria de agradecer a todos pelas orações a nosso favor aqui em Israel. Como tenho postado em minha página no facebook (www.facebook.com/mzandonna), a mídia ocidental insiste em mostrar tendenciosamente os fatos ocorridos por aqui, incitando as pessoas ao impreciso juízo em relação a Israel e também aos palestinos. Portanto, estando aqui e acompanhando de perto os últimos acontecimentos, achei por bem escrever um breve relato para trazer luz e esclarecimento a pessoas que desejam entender e também interceder pela Paz de Israel.

26.05.2014 . Por Matheus Zandona Guimarães

Paulo e as “Obras da Lei”

Em algumas ocasiões nos escritos da Nova Aliança o apóstolo Paulo utiliza a expressão “obras da lei” (carta aos Romanos cap. 03 e aos Gálatas cap. 02 e 03). Em todas essas citações a expressão é usada negativamente, sendo algo a ser evitado por todo servo verdadeiro de Deus através de Yeshua (Jesus). Porém, a má interpretação e a descontextualização dos textos paulinos onde essa expressão é mencionada, gerou e tem gerado nos meios teológicos cristãos (e também judaicos) um falso conceito que Paulo era contrário à Torá e a sua obediência.

21.05.2014 . Por Marcelo M. Guimarães

Evangelizando a si mesmo

Um tempo que me agrada muito é o período que vai da festa de Pessach (Páscoa) até Shavuot (Pentecostes) que normalmente cai no outono, no Brasil. São 7 semanas, 49 dias claros e de céu azul, temperatura fresca e convidativa, quando fazemos, segundo a instrução divina, a contagem do “Sefirat HaOmer”, ou seja, a Contagem dos Omer (um tipo de medida agrícola), uma oferenda de cevada recém-colhida no tempo bíblico.

10.01.2014 . Por Marcelo M. Guimarães

Esperando pelo nosso Messias judeu

Está na moda hoje redescobrir os símbolos bíblicos, que na maioria deles são atualmente usados pelo povo judeu e pelo Estado de Israel, como por exemplo, a Menorá, a mezuzá, o shofar, talit, o kipá, a estrela de Davi e tantos outros. Não estou aqui querendo defender o uso indiscriminado destes símbolos fora da tradição ou do contexto bíblico. Nota-se que a igreja está querendo de uma forma ou de outra se aproximar de Israel.

1.10.2013 . Por Marcelo M. Guimarães

Você sabia que muitos brasileiros são descendentes de judeus?

Um povo para ser destacado dentre as nações precisa conhecer sua identidade, buscando profundamente suas raízes. Os povos formadores do tronco racial do Brasil são perfeitamente conhecidos, como: o índio, o negro e o branco, destacando o elemento português, nosso colonizador. Mas, quem foram estes brancos portugueses? Pôr que eles vieram colonizar o Brasil ? Viriam eles atraídos só pelas riquezas e Maravilhas da terra Pau-Brasil ? A grande verdade é que muitos historiadores do Brasil colonial ocultaram uma casta étnica que havia em Portugal denominada por cristãos-novos, ou seja, os Judeus ! Pôr que ? (responder esta pergunta poderia ser objeto de um outro artigo).