Quem somos | Ensinando de Sião

Quem somos

ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO ENSINANDO DE SIÃO

BELO HORIZONTE, MG, BRASIL

 

O Ministério Ensinando de Sião (AMES, Brasil ‒ www.ensinandodesiao.org.br) é uma instituição de ensino bíblico, composta por não-judeus, descendentes de judeus e judeus. Apregoamos o ensino e a obediência aos Escritos judaicos da Torá (Pentateuco), dos Neviim (Profetas), dos Ketuvim (escritos) e da Brit Chadashá (Nova Aliança – Jr 31:31).  Com base em tais Escritos, cremos ser Yeshua haMashiach o Messias de Israel e veículo da redenção do Eterno, sendo primeiramente enviado há 2000 anos como “Mashiach Ben Yossef”, mas que em breve voltará trazendo redenção e paz para os da Casa de Israel e para todas as nações como “Mashiach Ben David”.

O Ministério Ensinando de Sião é filiado ao Netivyah Bible Instruction Ministry (Jerusalém, Israel ‒ www.netivyah.org) e reconhecido pela Union of Messianic Jewish Congregations (UMJC, EUA ‒ www.umjc.org), pelo Messianic Jewish Bible Institute (MJBI, EUA ‒ www.mjbi.org), pela Tikkun International Mission (Israel e EUA ‒ www.tikkunministries.org) e pelo Jewish Voice Ministries International (EUA ‒ www.jewishvoice.org), dentre outras federações e entidades judaico-messiânicas internacionais reconhecidas em Israel e nos Estados Unidos da América.

Nosso Ministério tem os seguintes objetivos:

  • Contribuir para difundir entre os cristãos a visão de sua reconexão com o povo judeu e com a nação de Israel, bem como a restauração das raízes bíblicas e judaicas da sua fé e seu papel em relação à redenção de Israel e do mundo;
  • Promover o ensino das Escrituras – Tanách e Brit Chadashá, comumente chamados Antigo e Novo Testamentos – no contexto judaico;
  • Divulgar entre os povos o amor e a necessidade de oração a favor do povo judeu e sua terra;
  • Abolir todo e qualquer tipo de antissemitismo, antijudaísmo e antissionismo;
  • Tornar visíveis os erros históricos do cristianismo em relação a Israel e seu povo, não compactuando com os mesmos;
  • Acompanhar e divulgar as profecias bíblicas relacionadas a Israel e seu povo;
  • Incentivar os descendentes de judeus a restaurarem suas raízes bíblicas e judaicas, crendo no Messias Yeshua e na sua iminente volta;
  • Conscientizar os judeus de que são o povo escolhido por D’us, tendo um chamado que é irrevogável;
  • Publicar literatura, promover seminários, cursos e conferências;

Para cumprir esses objetivos, o Ministério Ensinando de Sião tem trabalhado na promoção de seminários, cursos e conferências. Além disso, o Ministério Ensinando de Sião assiste à Sinagoga Har Tzion (Belo Horizonte, MG) e a diversas atividades de assistência social.

A Beit Har Tzion (Casa Monte Sião) é uma sinagoga – sinônimo de congregação, comunidade ou assembléia. Na Beit Har Tzion, os judeus e seus descendentes vivem como judeus, guardando os ensinamentos e tradições da Tanach e da Nova Aliança, tal como na Comunidade do 1º Século. As Escrituras nos mostram que os judeus podem e devem continuar vivendo como judeus, crendo no Messias Yeshua, como Salvador e Senhor. Por outro lado, os não judeus devem ter liberdade de continuar vivendo como não judeus e crendo no Senhor Yeshua.

O movimento pela restauração da Igreja do 1º Século – de que o Ministério Ensinando de Sião faz parte – baseia-se no fato de que Yeshua e seus discípulos, sendo judeus, iniciaram o anúncio da Brit Hadashá – Nova Aliança, as Boas Novas ou o Evangelho (Jr 31:31)– sem desprezar os ensinamentos da Tanach – o chamado Antigo Testamento. A graça e favor do Eterno a nós não anula a Sua Lei, a qual nos traz qualidade de vida, segurança, melhor entendimento e plenitude para vivermos como servos do D-us vivo.

A respeito do movimento de Judeus discípulos de Yeshua, do qual fazemos parte (mais de 700 congregações ao redor do mundo), o Ministério Ensinando de Sião informa e declara a quem interessar:

  1. Somos monoteístas e cremos em um só D’us ‒ um e único (Dt 6:4; Mc 12:29) ‒ criador de todas as coisas (Gn 1:1).
  2. Cremos no messias Yeshua e em sua divindade com base em sua identidade apregoada pelos profetas de Israel (Dt 18:15-16; Is 9:6-7; 11:1-5; Jr 23:5-6). Ao mesmo tempo em que tais passagens exprimem sua plena divindade, lemos e aprendemos também sobre sua submissão e obediência ao Eterno (Ex 23:20-23; Sl 2:7; Sl 110:1-7;  Is 53:1-12; Is 63:1-15; Jo 5:30; Jo 6:38; Jo 14:28; I Co 15:24). Tais passagens estão confirmadas também nos Escritos da Brit Chadashá, a saber, a plena divindade (Cl 2:9) de Yeshua haMashiach (Jesus, o Cristo), o Messias do D’us único, Seu Filho primogênito (Rm 8:29) e unigênito (Jo 3:16; Hb 11:17), o único representante e mediador do PAI perante a humanidade  (Rm 5:15), mas ao mesmo tempo submisso e obediente ao Pai.
  3. Cremos no Espírito do D’us criador e na manifestação e diversidade de dons e ministérios (Ex 31:3; At 2; 1Co 12).
  4. Cremos na veracidade, na inspiração divina, na validade atual e na autoridade exclusiva e inquestionável das Escrituras Sagradas (2Tm 3:16), entendidas como o conjunto de todos os livros dos chamados Antigo e Novo Testamentos – Tanach e Brit Chadashá. Fora estes, não há outro livro sagrado, canônico ou dotado de autoridade inquestionável.
  5. Cremos que a redenção e salvação eterna somente podem ser alcançadas mediante a graça do Eterno através do sacrifício de Yeshua (At 4:12), independente de o indivíduo ser judeu ou não judeu. Uma vez alcançados pela Graça do Eterno, somos ordenados a andar em obediência e em boas obras. Não se é salvo pela obediência, mas obediência é esperada dos que foram salvos.
  6. Somos membros do Corpo do Mashiach (1Co 12:12-27) ‒ a Congregação ou Comunidade do Eterno (eclésia – igreja) ‒ e, dessa forma, interagimos com os demais membros desse Corpo a favor do Corpo, procurando a unidade e a comunhão entre os seguidores de Yeshua, sejam judeus ou não.
  7. Conforme as Escrituras, judeus e não judeus constituem a família de D’us em Cristo (Ef 2:19): os gentios crentes em Cristo são enxertados na “oliveira” ‒ Israel ‒ e os judeus crentes em Cristo são reenxertados em sua própria raiz (Rm 11). Assim, judeus e não judeus participam da “seiva” ‒ bênçãos e promessas ‒ da mesma “oliveira”.
  8. No caso do Brasil e de outros países que receberam grande contingente imigratório de judeus do período da Inquisição (1492 a 1821), quer na condição de “Convertidos Forçados ao Catolicismo” (conhecidos como Anussim ou Marranos ou Cristãos-Novos), quer como Cripto-judeus faz-se necessário dar a esses que desejam restaurar as raízes judaicas de seus ancestrais uma condição especial de retorno. Hoje, Israel e várias entidades internacionais já trabalham a favor da inclusão desses descendentes à Casa de Israel. Além de ser profético, nós do movimento Judaico-Messiânico lutamos que para não seja imposto a eles nenhum tipo de conversão ao judaísmo tradicional e que seu direito de crença em Yeshua como o Messias seja respeitado. Eles são judeus e tem direito ao retorno à sua terra.
  9. A Igreja Cristã não substituiu o povo de Israel, como declara a falsa Teologia da Substituição, reforçada pelos concílios romanos. Israel, enquanto nação, possui sim um chamado ou vocação irrevogável (Ex 19:6; Jr 31:31,35-36; Rm 11:29).
  10. Conforme as Escrituras, o judeu crente em Yeshua deve preservar sua identidade judaica (At 21:20;28:17, por exemplo).
  11. Conforme as Escrituras, o gentio crente em Cristo, permanece gentio e está livre de qualquer imposição de tradições ou leis bíblicas específicas ao povo judeu, devendo também preservar sua identidade, sem se converter ao judaísmo e sem tornar-se judeu (At 15).
  12. O movimento judaico-messiânico autêntico aproxima a Igreja ao povo de Israel, ensinando-a a amá-lo e a interceder por sua salvação, um dos pré-requisitos para a volta de Yeshua e Seu Reino messiânico.
  13. A maioria das congregações judaico-messiânicas reconhecidas é aberta a todos os interessados, judeus ou não, seguidores de Yeshua.
  14. A liturgia de nossas celebrações inclui tradições muito antigas (2Te 2:15), algumas das quais remontam mesmo aos tempos de Esdras e Neemias e que foram praticadas por Yeshua, pelos apóstolos e pelos discípulos dos apóstolos ‒ por exemplo, a leitura e explicação pública da Torá e dos profetas (Lc 4:16-17; At 13:15).
  15. Todos os símbolos que usamos dentro de nossas sinagogas e de nossas casas são ordenados, sugeridos ou inspirados pelas Escrituras Sagradas. Contudo, nenhum objeto ‒ rolos dos livros da Torá e dos profetas, talit, quipá, menorá, mezuzá, entre tantos outros ‒ em nenhuma hipótese pode ser considerado amuleto e muito menos objeto de adoração, veneração ou idolatria, pois isso feriria todos os princípios do monoteísmo que professamos.
  16. Atualmente, existe um Conselho de Congregações Judaico-Messiânicas Brasileiras, filiado às maiores instituições judaico-Messiânicas do mundo. A Congregação Har Tzion é filiada a esta entidade. Saiba mais no site: www.ccjm.org.br 
  17. Apesar das diferenças de estilos existentes entre nossas congregações, elas buscam caminhar juntas em direção a um propósito maior.
  18. Nossos rabinos messiânicos são judeus formados e ordenados por entidades ou federações de renome mundial comoNetivyah, UMJC, Tikkun, MJBI, entre outras.
  19. Qualquer que se intitule “rabino messiânico” deve poder indicar a instituição reconhecida que o tenha ordenado.

Como a respeito de qualquer outro movimento, comunidade ou ministério que faz parte do Corpo de Cristo, recomendamos veementemente a checagem da idoneidade daqueles que se apresentam como judeus messiânicos: seu embasamento doutrinário nas Escrituras deve ser explícito, bem como as filiações que lhes dão o devido reconhecimento e legalidade. Não é novidade para ninguém a existência de impostores, aproveitadores e falsos profetas em qualquer sistema religioso. Portanto, colocamo-nos à disposição de todos os interessados para quaisquer outros esclarecimentos.

 

Rabino Messiânico Marcelo Miranda Guimarães,
Beit Har Tzion (Belo Horizonte, MG).
Presidente do Ministério Ensinando de Sião – Brasil.
Ordenado rabino pelo Netivyah Bible Instruction Ministry (Jerusalém, Israel), com a participação da Union of Messianic Jewish Congregations (EUA), do Jewish Voice Ministries International (EUA) e do Messianic Jewish Bible Institute (EUA).
Ordenado para o ministério apostolar pelo Tikkun International Mission (Israel e EUA).

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: O Ministério Ensinando de Sião (Brasil) e todas as instituições internacionais que lhe dão o devido reconhecimento e legalidade não tem nenhum tipo de conexão ou contato com o movimento “Jews for Jesus” (Judeus para Jesus).

 

TEL: (31) 3498-1761 FAX: (31) 3498-5195
CONTATOS e MAIORES INFORMAÇÕES: siao@ensinandodesiao.org.br