A Dieta Saudável da Bíblia | Ensinando de Sião

Artigos e estudos

A Dieta Saudável da Bíblia

Por Marcelo M. Guimarães

Se D-us criou o homem como o ápice de Sua criação não daria Ele um cardápio especial para mantê-lo saudável durante toda a sua vida? Claro que sim!

Permita-me um pequeno testemunho. Nos primeiros anos de vida como seguidor de Yeshua, tudo para mim era novidade e a alegria era constante. A oração entrou em minha vida para ficar, bem como a leitura diária da Palavra. Naquela época, acabara de fazer um check up médico obrigatório da empresa para a qual trabalhava e lá estava diante do médico com os resultados dos meus exames. Ele olhou para mim, dizendo: – olha, a partir de hoje você não poderá comer mais certos tipos de alimentos, como frutos do mar e certos tipos de carne, principalmente. Por quê? perguntei eu! Porque são ricos em proteínas e produzem aumento do ácido úrico. Você está propenso a sofrer de uma artrite gotosa (gotas). Comecei a rir…e disse a ele: – “há duas semanas um grande amigo também ‘médico’ me disse a mesma coisa e desde então não faço mais uso desses alimentos. Assim pois, não será difícil para mim tirar do meu cardápio camarões, lagostas e certos tipos de carnes e miúdos”. O médico não podia imaginar o que tinha acontecido comigo. Certa madrugada acordei como se alguém me dissesse: – “leia Levítico 11”. Nunca tinha me deparado com este texto que menciona claramente sobre os alimentos puros e impuros. Assim, gostaria de compartilhar com vocês algo de minhas pesquisas sobre “A dieta saudável da Bíblia.” Comecemos, então, pelo capítulo 11 do livro de Levítico.

Em resumo, este capítulo informa sobre os tipos de animais que se pode comer como:

  1. FONTE PRINCIPAL DAS PROTEÍNAS
  2. Animais que habitam na terra: – come-se somente aqueles que tem a unha fendida e que ruminam, como o carneiro, o boi, etc., ficando de fora, por exemplo, o porco, o coelho, alguns plantígrados (ursos, elefantes, p.ex) e digitígrados (gatos, cachorros e outros); e nenhum tipo de répteis; curioso é notar que o animal ruminante é sempre herbívoro e o ruminar desses animais implica numa boa digestão, absorção, dos alimentos;
  3. Animais que habitam na água: – come-se somente aqueles que apresentam barbatanas e escamas, como o dourado, o salmão, o badejo, etc. , ficando de fora, por exemplo, os peixes de couro (surubim, bagre, cascudo), os anfíbios e os chamados “frutos do mar”, como os camarões, as lagostas, os mexilhões, siri, etc.
  4. Animais que voam: – come-se todas as aves que não se enquadram como as de rapina (que se alimentam de carne e carniça), como por exemplo, urubu, águia, gavião, falcão,  etc.;
  5. Insetos: – pode-se comer insetos alados que andam sobre quatro pés: os que tem pernas sobre os seus pés, para saltar com elas sobre a terra, como gafanhotos;
  6. Neste capítulo ainda é mencionada a qualidade da água que se bebe: aquelas que saem das fontes e das cisternas e que não tenham sido contaminadas por cadáveres de animais.

Mas, será que o objetivo principal deste capítulo seria só a saúde? Eu creio que não. Para mim, conhecer sobre os alimentos puros e impuros nos faz meditar todas as vezes que ingerimos algum tipo de alimento. São lembranças de que D´us requer sempre santidade e assim como sabemos separar o alimento puro do impuro devemos da mesma forma separar também as coisas do mundo emocional e espiritual que também nos contaminam como por exemplo,  a mágoa, o ressentimento, a falta de perdão, a idolatria e envolvimento com as forças ocultas e das trevas.

Alimentos impuros trazem contaminação física e espiritual

O seguidor de Yeshua, judeu ou não judeu, deveria se preocupar mais com sua dieta, pois afinal somos o que comemos. Hipócrates já dizia: – “faça do seu alimento o seu remédio” e ele não estava errado.

Desde a época de Noé, D´us permitiu que o homem até então vegano, passasse a comer carne, mas com restrição, como por exemplo, não comer o sangue.

No Judaísmo, existe uma crença que ao comer carne também se ingere as características do animal, implicando na perda da sensibilidade espiritual, no caso de se comer animais não permitidos pela Bíblia (Lv 11). Isto é muito interessante.

Gostaria de compartilhar com você um pequeno estudo que fiz quando ministrei sobre a Parashá “Behaalotchá” (quando subires) que inclui o capítulo de Levítico 11. Existiria uma dieta saudável na Bíblia? Creio que sim, e vejamos a seguir alguns tipos de alimentos:

  1. OS VEGETAIS
  1. Ervas, inclui folhas verdes e rasteiras como alface, repolho, agrião, couve-flor, etc. e se pode comê-las à vontade – As ervas como alecrim, orégano, hortelã, temperos como curcumina do açafrão são ricas em sais minerais e vitaminas (Gn 1:29;Gn 2:15-16);
  2. Sementes/grãos/cereais – incluindo as sementes como girassol, trigo, milho, cevada são exemplos bíblicos. Também podemos incluir aqui as sementes como chia, quinoa, arroz, feijão, centeio, etc. Elas são ricas em fibras, sais minerais, aminoácidos, vitaminas e proteínas (Gn 1:29; Gn 41:5); Em hebraico, sementes podem ser traduzidas como זֵּרֹעִ֛ים (zeroím), exatamente o termo usado em Daniel 1:12. Ou seja, a famoso jejum de Daniel consistia também em sementes, e não apenas em “vegetais”.
  3. Legumes – São alimentos calóricos e contém carboidratos e açucares, pois são energéticos, além de serem ricos em elementos minerais como o ferro, o magnésio, o potássio, além das vitaminas. Já os pepinos, melões, cebolas, alho, alho poró são citados em Nm 11:5. Não precisa ser nutricionista para explorar o grande benefício desses alimentos, essenciais a vida;
  4. Frutos das árvores – todos os frutos comíveis, como:
  5. A uva – é o símbolo da aliança e da alegria. “o vinho alegra, o azeite reluz e o pão fortalece” (Sl 104:15; Jz 9:13); também é o símbolo da vida, além de ser rica em resveratrol que diminui o colesterol e toxinas do organismo.
  6. Figo: aspecto poderoso e regenerador – Usado como cicatrizante. Simboliza nossa capacidade de agir para o bem e para o mal, segundo a tradição judaica.  Simboliza a Torá e há várias citações na Bíblia (IIRe 20:7; Is 38:21);
  7. Romã: antítese do figo. Representa nossa capacidade de superar a nós mesmos, vencendo obstáculos. Somatório de nossas boas ações (virtudes). Resultado: esforço/luta. Simboliza os 613 mandamentos (sementes) na tradição judaica. Há várias citações na Bíblia (Ex 28:34; Ct 4:3);
  8. Tâmara: Representa nossa capacidade de dar paz, tranquilidade e perfeição. Sl 92:13 – “o Justo (Tsadik) florescerá como tâmara”. É o nosso estado relaxado, não pressionado, segundo a tradição judaica;
  9. Todas as frutas são ricas em frutose, vitaminas, proteínas e sais minerais. Não são citadas na bíblia, mas sabemos hoje o quão saudável é o abacate, a manga, a banana, rica em potássio e triptofano, um sintetizador da serotonina, o hormônio do bom humor. Destacam-se os ricos em vitamina C como a laranja, o limão, o quiuí e outras frutas cítricas;
  10. AS GORDURAS

A gordura, Haláv (que inclui também o leite e o queijo) ou Helév (gordura animal) em geral era queimada, juntamente com os rins, fígado e vísceras, nos sacrifícios oferecidos a D´us. Era oferecida como oferta pacífica e de cheiro suave. O melhor do animal, a gordura, o mais saboroso e se ofertava a D´us. Mas, a gordura fora dos sacrifícios era comida pelos sacerdotes e pelo povo.

Hoje ainda há certa controvérsia, mas sabe-se que a gordura não é mais a vilã do suposto aumento do colesterol, mas sim os carboidratos, principalmente as chamadas farinhas brancas, como a do trigo. Há várias passagens na Bíblia que a gordura era comida pelo povo. O rei David relata que sua alma se fartava de tutano e gordura e a sua boca louvava a D´us com lábios alegres(Sl 63:5). O profeta Isaías recomenda deleitar-se na gordura (Is 55:2). Já Jeremias diz para os sacerdotes se saciarem de gordura (Jr 31:14).

As sementes foram a base do jejum de Daniel

Nosso corpo necessita de gorduras para absorção das vitaminas A, D, E e K. Porém, seu consumo deve ser moderado pois todos os tipos de gorduras também são ricos em calorias, como os carboidratos. Hoje temos conhecimento que alguns tipos de gordura (lipídeos e ácidos graxos) são saudáveis, como:

  • a) monoinsaturada (benéfica) encontrada no abacate, no óleo de canola, azeite de oliva, óleo de girassol, óleo de gergelim, óleo de amendoim,  etc;
  • b) poli-insaturada (benéfica) encontradas nos peixes (Ômega-3, 6, 9), soja, óleo de peixe e grãos;
  • d) gordura saturada (benéfica)  que podem ser encontradas nas carnes e laticínios integrais e também no óleo e derivados de coco, óleo de algodão, óleo de palma (dendê).
  • O colesterol tem uma função primordial em nossa saúde. Você sabia que ingerimos apenas 30% do colesterol existente no nosso corpo e o restante é produzido pelo próprio organismo? O colesterol é importante porque ele é o “óleo do motor” de nosso corpo. Ele mantém as membranas das células lubrificadas para facilitar a entrada e saída de substâncias, como nutrientes e água. Ele é a matéria prima para produção de hormônio, protege os nervos e ajuda na troca de informações entre os neurônios e o cérebro. Estamos falando do bom colesterol, o chamado HDL e não do LDL, aquele que acumula nas artérias formando placas, causando problemas cardiovasculares. Há uma boa relação entre o colesterol total e o HDL, ou seja, esta relação deve estar abaixo de 4,5. Exemplo, se o colesterol total for 120 e o HDL 45, esta relação seria  2,6, portanto, abaixo de 4,5, não oferecendo risco à saúde.
  • Os alimentos que ajudam aumentar o HDL são o azeite, alho, castanha, soja, sardinha, aveia, morango, abacate, chocolate amargo e banana, p.ex. e exercícios físicos.
  • O MEL – O mel é um alimento muito citado na Bíblia. Ele é uma rica fonte de energia e menos calórico que o açúcar comum. É rico em proteínas, vitaminas e sais minerais. Auxilia a função intestinal e problemas respiratórios. Tem ação bactericida, cicatrizante e revigorante, reforçando o sistema imunológico. Vejamos algumas recomendações bíblicas:

come mel, filho meu, porque é bom e o do favo de mel, que é doce ao seu paladar” (Pv 24:13). Porém, coma-o somente o que te basta (Pv 25:16). O profeta Isaías recomenda comer manteiga e mel.

  • Os Probióticos – Sabemos que os probióticos desempenham um papel muito importante em nossa saúde. Os probióticos (alimentos que contem bactérias benéficas) como a coalhada, refazem a flora intestinal e os prébioticos (alimentam as bactérias) como a banana verde e o polvilho doce (Gn 18:8; Dt 32:14; Jz 5:25)
  • O azeite de oliva. Há várias citações bíblicas sobre o azeite. É um santo alimento, pois é uma fonte de antioxidantes, prevenindo doenças degenerativas e câncer. Contribui para o controle do colesterol, favorecendo a saúde cardiovascular. Também auxilia na absorção de vitaminas lipossolúveis como a A, D, E e K. O azeite fazia parte das ofertas pacíficas e das libações (Nm 5:15), servia também para a unção de sacerdotes e reis (Lv 21:10; IIRe 9:3). O azeite também era utilizado como alimento (II Cr 2:15; Sl 104:15). Era usado nas feridas (Lc 10:34). Era também um produto comercializado (Ap 18:13). Enfim, deve ter um lugar especial em nossa alimentação.
  • O Vinho. Símbolo da vida, símbolo da aliança de sangue. Bebida milenar citada em centenas de passagens bíblicas. Yeshua o multiplicou nas Bodas de Caná e com ele instituiu o Seudat Há Adon, a ceia do Senhor. Há pelo menos 4 tipos de vinho na Bíblia, indo do mosto ao suco e ao vinho alcoólico (yain), com o qual Nóe plantando uma vinha se embebedou com ela (Gn 9:20-21). O vinho é antioxidante, protegendo o organismo dos radicais livres. Em doses pequenas funciona até como remédio (I Tm5:23), mas há sempre um grande risco de criar dependência e pior do que isto, ele danifica o organismo, principalmente, o fígado e o cérebro.
  • A Bíblia não menciona os Alimentos não saudáveis, pois não existiam na época, como o açúcar, refrigerantes, sucos industrializados, gorduras trans hidrogenadas, alimentos embutidos, enlatados que são alimentos mortos, contendo excesso de nitratos e conservantes. Com certeza, estes alimentos jamais fariam bem para a nossa saúde.
  • Cuidar do “tabernáculo” de D´us, o nosso corpo, pois é o santuário (IICo 6:16). Para mim, é um mandamento cuidar da saúde do corpo, sede da nossa alma, dos sentimentos e das emoções, além de ser o “templo” do Espírito Santo de D´us.

No Cântico de Moises encontramos uma boa recomendação:

 “ Ele o fez cavalgar sobre as alturas da terra, e comer os frutos do campo também o fez chupar mel da rocha e azeite da dura pederneira, coalhada das vacas e leite das ovelhas, com a gordura dos cordeiros, dos caneiros de Basã, e dos bodes, com o mais fino trigo e por vinho bebeste o sangue das uvas.”  (Dt 32:13-14).

Meu pai sempre dizia: “Do que nos é permitido comer, coma de tudo, porém pouco” (Mário Martins Guimarães)

Autor:

Rabino messiânico ordenado pelo Netivyah Bible Instruction Ministry – Jerusalem-Israel. Fundador do Ministério Ensinando de Sião e da Congregação Har Tzion em Belo Horizonte.

Conheça a nossa loja